A Coréia do Norte anunciou nesta sexta-feira (19) o religamento de seu principal reator atômico e informou que não deseja mais as concessões prometidas pelos Estados Unidos em troca do desmantelamento do programa nuclear do país. O governo norte-coreano responsabilizou o americano pela situação. “Estamos realizando uma preparação completa para restaurar as instalações nucleares” declarou Hyon Hak Bong, um funcionário do Ministério das Relações Exteriores da Coréia do Norte. “Vocês podem dizer que já começamos a trabalhar para que elas sejam restauradas e voltem a operar como antes”, disse o diplomata a jornalistas em Panmunjon, um povoado na fronteira entre as duas Coréias.

A notícia foi divulgada antes do início de uma rodada de negociações entre as Coréias do Norte e do Sul com relação à ajuda energética prometida a Pyongyang em troca do desligamento de seu principal reator atômico. Mais tarde, a chancelaria norte-coreana confirmou que a restauração do reator nuclear de Yongbyon já vem sendo executada “há algum tempo” em resposta ao fato de os EUA não terem cumprido a promessa de retirar a Coréia do Norte de uma lista de “patrocinadores do terrorismo”.

“Agora que as verdadeiras intenções dos Estados Unidos vieram à luz, a Coréia do Norte não mais deseja ser retirada da lista de ‘estado patrocinador de terrorismo’ nem espera que isso realmente aconteça”, disse um porta-voz norte-coreano. “A situação seguirá seu curso natural.” As informações são da Dow Jones.