A China prometeu laços mais próximos nas áreas de comércio, energia e militar com os países da América Latina e o Caribe, segundo nota oficial divulgada nesta quarta-feira, antecipando a viagem agendada do presidente Hu Jintao à região.

Embora não tenham sido dadas informações específicas, a China promete buscar parcerias “abrangentes e mútuas” com a região, que tradicionalmente tem sido vista como submetida à influência diplomática dos EUA. O país concluiu recentes acordos com países latino-americanos como a Venezuela.

A nota dizia que a China “estimaria positivamente” a possibilidade de novos acordos comerciais com a América Latina e o Caribe, inclusive nas áreas de energia e outras riquezas.

“A China deseja expandir e aprofundar mutuamente a cooperação benéfica com os países da América Latina e o Caribe em recursos naturais e energia, dentro de uma estrutura bilateral de colaboração”, destaca a nota.

A declaração oficial vem no momento em que Hu prepara viagem a Cuba, Costa Rica e Peru, depois de comparecer a um encontro internacional para tratar da crise financeira global, dia 15, em Washington.

A China disputa há anos, com sua rival Taiwan, pelo reconhecimento diplomático por parte dos países da América Latina. Ambos os lados se acusam mutuamente de “comprar amigos”.