Funcionários da Organização das Nações Unidas (ONU) disseram nesta terça-feira que o número de refugiados sírios que chegam à Jordânia caiu subitamente, de uma média de 2.500 por dia para pouco mais de 20. A organização tenta descobrir rapidamente o que provocou essa mudança.

Milhões de pessoas têm sido desalojadas na Síria pela guerra civil que se espalha por grandes áreas e a Jordânia se tornou o principal refúgio para os sírios que escolhem deixar seu país. Funcionários da ONU disseram que não sabem o que levou à queda no fluxo de refugiados para a Jordânia nesta semana e, como não há funcionários do lado sírio, não podem observar a situação.

“Acreditamos que haja algo acontecendo do outro lado da fronteira e precisamos saber o que é rapidamente”, disse Andrew Harper, representante da agência de refugiados da ONU na Jordânia. “Não está claro o que está acontecendo. Mas achamos que os refugiados estão tendo problemas para acessar a área de fronteira no lado sírio.”

Panos Moumtzis, outro funcionário da agência de refugiados da ONU disse que a organização está consultando as autoridades para ver se “as pessoas estão sendo impedidas de se movimentar, se é por questões se segurança ou outra coisa”.

Um funcionário de fronteira jordaniano disse, em condição de anonimato, que os dois postos de fronteira com a Síria “estão abertos do lado jordaniano, mas não sabemos o que está acontecendo do lado sírio”.

Na quarta-feira, um grupo internacional conhecido como Amigos da Síria vai ser reunir em Amã. A reunião a portas fechadas entre diplomatas de países que apoiam o levante sírio tem como objetivo preparar as negociações internacionais patrocinadas pela ONU, que devem acontecer em Genebra na primeira metade de junho. As informações são da Associated Press.