A violência no sul do Afeganistão matou nove civis, informaram autoridades locais hoje. As mortes ocorreram na província de Helmand, um dia após a Organização das Nações Unidas (ONU) anunciar que o número de civis mortos em ações de violência relacionadas à guerra aumentou em 15% no primeiro semestre do ano.

A ONU afirmou que 1.462 civis morreram nos primeiros seis meses do ano no Afeganistão, um aumento em comparação com os 1.271 civis mortos no mesmo período de 2010. Funcionários afegãos disseram que cinco civis, entre eles duas crianças, morreram hoje quando o veículo em que eles viajavam passou sobre uma bomba colocada em uma via no distrito de Sangin.

Outras quatro pessoas morreram na noite de ontem. Duas morreram no distrito de Nawa, quando o carro em que estavam detonou uma bomba, e as outras no distrito de Gershk, onde insurgentes que costumam atacar policiais mataram por engano dois civis que saíam em uma motocicleta.

Otan

Também hoje, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) informou que investigará as alegações afegãs de que seis civis foram mortos durante uma operação militar da aliança contra a rede Haqqani, ligada à Al-Qaeda. Funcionários do governo provincial disseram que seis pessoas, incluindo uma garota de 11 anos, morreram durante a operação ontem na província de Khost, no leste afegão.

A Otan afirmou anteriormente que apenas um civil ficou ferido, porém o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, ordenou uma investigação de funcionários afegãos no caso. Depois do anúncio, a Otan disse que iria revisar sua operação. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.