Dois suicidas com uniformes da polícia se explodiram em um quartel da polícia do Afeganistão, neste sábado, em um atentado que deixou pelo menos 12 policiais mortos. O ataque ocorreu na província de Paktika, no leste do país, em uma região fronteiriça onde extremistas do mundo todo tem se refugiado.

Em um comunicado, o Taleban assumiu a responsabilidade pelo ataque. Os agressores passaram por três portões de segurança, até chegarem ao principal prédio do complexo policial, explicou Nawab Waziry, chefe do conselho provincial. Houve a primeira explosão, e a segunda ocorreu apenas 20 minutos depois. “O local estava coberto de sangue”, disse Waziry.

O general Daud Andarabi, porta-voz do comando da polícia regional no sudeste do Afeganistão, disse que as explosões mataram 12 policiais e feriram outros 16. Meyawer Khan, chefe do departamento de investigação criminal da província de Paktika, confirmou as 12 mortes. Segundo Khan, o local era também usado como um centro de treinamento da polícia.

O ataque ocorreu em uma das áreas mais violentas do Afeganistão, onde forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e do próprio país combatem diariamente a rede Haqqani, uma facção do Taleban sediada no Paquistão, bastante próxima da Al-Qaeda. A área fica 150 quilômetros ao sul de Cabul, perto da fronteira paquistanesa. Um soldado da Otan também morreu em um ataque com uma bomba neste sábado, no leste afegão. A coalizão não deu mais detalhes sobre o caso. As informações são da Associated Press.