O movimento do trânsito na região da rodoviária deve aumentar consideravelmente a partir desta quarta-feira e até o fim da semana quando, segundo estimativas, cerca de 100 mil pessoas estarão viajando de ônibus. Para fugir ao congestionamento provocado pela proximidade de feriados e início de férias, os motoristas curitibanos contam com ruas alternativas onde o fluxo de trânsito é bem menor.

Além de chegar mais rápido ao seu destino, o motorista que evitar as ruas mais próximas à rodoviária também estará ajudando a evitar congestionamentos. O trânsito lento na região compromete a movimentação dos ônibus, podendo atrasar os horários de viagem em até 30 minutos.

"É prejuízo para todos. Quem está no trânsito e não precisa ir para a região da rodoviária acaba enfrentando a lentidão provocada pelo excesso de veículos que utilizam as mesmas ruas. Quem vai viajar pode ter que sair em outro horário, o que compromete também o seu horário de chegada na cidade para onde vai", afirma o diretor de Trânsito da Urbs, Carlos Alexandre Negrini Bettes.

Para a gerente de fiscalização do transporte intermunicipal do DER, Elizabete Bozza, o ideal é que apenas as pessoas que realmente precisam ir para a rodoviária utilizem o sistema viário na região mais próxima. "E se o passageiro não tiver muita bagagem, o melhor mesmo é que utilize o transporte coletivo, especialmente os biarticulados que trafegam em canaletas exclusivas e não enfrentam os congestionamentos", orienta.

Uma das vias mais congestionadas em vésperas de feriados é a Avenida Silva Jardim, utilizada pelos ônibus que vão para a rodoviária para o embarque dos passageiros. Quem trafega pela Avenida Sete de Setembro, rua Conselheiro Laurindo e o início da rua Mariano Torres, também sente o impacto do grande número de carros. A Avenida Affonso Camargo, que passa em frente à rodoviária, fica muito lenta no sentido bairro – centro, mas quem não vai para a rodoviária pode fazer outros caminhos.

Como desviar

Não muito longe da Silva Jardim, está a Avenida Getúlio Vargas que em seu prolongamento permite o acesso à Avenida Dr. Dario Lopes dos Santos e Maurício Fruet. Por este caminho o motorista terá facilidade para chegar à região do Jardim Botânico, Cristo Rei, Cajuru e demais bairros da região leste da cidade.

Quem vai para as praias de Santa Catarina e do Paraná ou quem vai para o aeroporto, em São José dos Pinhais, pode optar pela rua Ubaldino do Amaral para acessar o viaduto do Capanema. Para chegar à Avenida Comendador Franco (Avenida das Torres), depois do viaduto o motorista deve entrar à direita na rua Engenheiros Rebouças e em seguida à esquerda, na Comendador Franco (Avenida das Torres).

Para quem está chegando pela Avenida das Torres e quer ir para o centro, o melhor é não entrar à esquerda na pista que dá acesso ao Viaduto do Colorado, mas seguir em frente pela Avenida das Torres até o semáforo no cruzamento com a rua Brasílio Itiberê, entrar na Avenida Prefeito Omar Sabbag e então acessar o Viaduto do Capanema. O motorista que estiver vindo pela Brasílio Itiberê deve cruzar a pista que dá acesso ao Viaduto do Colorado para pegar a Avenida Omar Sabbag e depois o Viaduto do Capanema.

Levantamento feito pela administração da rodoviária mostra que, em dezembro, o movimento nesta região é maior nos dias 22, 23 e 26 das 18h às 24h; dia 24 das 6h às 18h; dia 27, das 5h às 8h; dias 29 e 30, das 18h às 24h; e no dia 31, das 6h às 18h.

Para escapar das vias utilizadas por pessoas que vão para a rodoviária e pelos ônibus estaduais e interestaduais, é possível optar por ruas que, embora pareçam mais distantes, podem levar o motorista ao seu destino final mais rapidamente.