A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia Antunes Rocha, acompanhou o relator e votou pela suspensão do decreto legislativo que reajusta o salário dos parlamentares em 90,7% por considerar que para dar o aumento seria necessária a aprovação de uma lei específica. Ela também disse que a constituição veda equiparações salariais.

No caso do decreto legislativo há uma equiparação entre os salários dos ministros do STF e do legislativo. O decreto questionado pelo PPS em Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) prevê que a remuneração dos parlamentares corresponderá à maior remuneração recebida pelo ministro do Supremo. A remuneração dos ministros do STF é de R$ 24,5 mil. Com o aumento os parlamentares passariam a receber a partir de 1 de fevereiro esse mesmo valor.