O superstar Michael Jackson revelou em um documentário surreal à televisão britânica que seu terceiro filho nasceu de uma mãe de aluguel que ele nunca conheceu.

Na entrevista sobre sua vida excêntrica e altamente reservada, exibida na segunda-feira, Michael Jackson insistiu que não há nada de errado em ter crianças dormindo com ele no quarto em seu rancho “Neverland”, e jurou que se mataria se não houvesse crianças no mundo.

“Usei uma mãe de aluguel e células do meu próprio esperma”, disse sobre seu terceiro filho, Prince Michael 2.º, de um ano.

O popstar ocupou recentemente as manchetes dos jornais ao balançar seu filho mais novo do lado de fora da janela de um hotel em Berlim em novembro, em uma “brincadeira” com seus fãs.

Questionado sobre como ele selecionou a mãe do bebê, Michael Jackson disse: “Não importava para mim desde que ela fosse saudável. Não me preocupei sobre sua raça desde que ela fosse saudável”.

“Eu usei uma mãe de aluguel e ela não me conhece”, disse o “rei do pop” ao repórter do ITV1 Martin Bashir.

Inicialmente, ele disse durante a entrevista que conhecia a mãe de seu filho e que tinha assistido ao parto. Mas quando foi pressionado pelo entrevistador, ele admitiu ter contratado uma mãe de aluguel.

Seus outros dois filhos, Prince Michael 1.º, de cinco anos, e Paris, de quatro, apareceram no documentário com Michael Jackson usando máscaras de festa.

Crianças de “presente”

Michael Jackson disse que sua ex-mulher, Debbie Rowe, concordou em ter seus dois primeiros filhos porque ele estava desesperado para ter crianças.

“Ela fez isto por mim”, disse. “Ela disse você precisa ser pai… e ela queria fazer isto para mim como um presente”.

Ele revelou ainda que depois do nascimento de Paris “eu a agarrei e fui pra casa com toda placenta e tudo o resto sobre ela. Não estou brincando. Enrolei-a em uma toalha e corri. Eles disseram que estava tudo bem… E quando cheguei em casa eu a lavei”.

Michael Jackson também disse que adoraria adotar duas crianças de cada continente. “Este é o meu sonho”, declarou.