Dois soldados britânicos foram mortos nesta quarta-feira (6) e outros 10 ficaram feridos – cinco gravemente – em dois incidentes distintos no sul do Afeganistão. Um terceiro faleceu em conseqüência de ferimentos sofridos durante ataque suicida ocorrido na semana passada, segundo a Secretaria de Defesa da Grã-Bretanha.

De acordo com um comunicado da Otan, um soldado morreu nesta quarta-feira e cinco ficaram gravemente feridos quando sua patrulha entrou em um campo minado na província de Helmand. Um sexto militar sofreu ferimentos leves. Após terem sido retirados do campo minado, os soldados foram transportados a uma unidade médica da Otan em Lashkar Gah, capital de Helmand e uma das principais bases dos britânicos no Afeganistão.

Também hoje, tiros de morteiro lançados por militantes mataram um soldado britânico e feriram outros quatro na mesma província. Segundo a Otan, os feridos foram enviados a um hospital militar. As últimas baixas elevam para 40 o número de soldados britânicos mortos no Afeganistão desde novembro de 2001.

Um líder tribal afegão informou nesta quarta-feira que cerca de 1.500 famílias acabaram sendo forçadas a abandonar suas casas devido a uma escalada da violência no sul da província de Kandahar. As pessoas mais afetadas pelos conflitos são oriundas dos distritos de Panjwayi e Zhari, onde a Otan e forças afegãs afirmam ter matado mais de 250 militantes do Taleban nos últimos dias.

O líder, conhecido como Musafar, da tribo Alakozai, disse ter solicitado ajuda ao governo da província e à ONU para auxiliarem os civis, que começaram a abandonar suas casas há cerca de um mês devido à crescente insegurança.