O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje em discurso na cidade de Sapezal, a 480 quilômetros de Cuiabá, que não foi responsável pela crise atual na agricultura. Ele prevê um "sinal extraordinário" de recuperação do setor. "Houve um tempo em que disseram que o presidente Lula não gostava da agricultura e do agricultor e a crise era por conta do presidente da República", afirmou. "Tenho consciência do que representa a agricultura para o crescimento de Mato Grosso e o desenvolvimento do nosso País.

A uma platéia formada por agricultores e estudantes, Lula defendeu uma política de seguro agrícola para ressarcir o setor e evitar que os produtores sejam pegos "de calça curta" em épocas de crise. "Passados dois anos de crise, o sinal de que a agricultura vai se recuperar é extraordinário", disse. "A agricultura foi, é e continuará sendo um dos pilares do desenvolvimento deste País.

Lula evitou comentar sobre as críticas de ambientalistas ao avanço da soja na Amazônia. Disse apenas que "é preciso respeitar o meio ambiente" e "preservar o Estado". "Eu prevejo momentos excepcionais para a agricultura brasileira", ressaltou.