O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) no município de São Paulo, medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da USP, foi de 0,26% na segunda quadrissemana de março, ante 0,16% na primeira prévia.

O coordenador do IPC-Fipe, Paulo Picchetti, revisou hoje (20) a sua projeção para a inflação da capital paulista em março, de 0 3% para 0,4%. A mudança decorre da alta dos preços de alimentos e combustíveis. "Podemos dividir a culpa da elevação da estimativa entre esses dois segmentos", comentou Picchetti.

Ele calculou que, se não houver aceleração nos preços do álcool e da gasolina, esses produtos, juntos, devem contribuir com 0,22 ponto porcentual para o índice de março. Ou seja, um pouco mais da metade do índice previsto para o mês.

Apesar da revisão, Picchetti mantém a projeção de que o IPC encerrará o ano em 4,5%.