A inflação no varejo, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), da Fundação Getúlio Vargas, nos 30 dias compreendidos entre 9 de abril a 8 de maio, foi de 0,52%. O resultado revela aceleração de 0,10 ponto percentual em comparação à apuração anterior e teve influência da variação de preços detectada nos grupos Habitação, Alimentação, Saúde e Cuidados Pessoais e Vestuário, que contribuíram juntos com 0,94% para o IPC-S de 8 de maio, explicaram os técnicos da FGV.

Dos sete grupos de despesas pesquisados, apenas dois mostraram redução da taxa: Educação, Leitura e Recreação ( de 0,15% para 0,05%) e Despesas Diversas (de 0,59% para 0,55%), enquanto Habitação se manteve estável em 0,50%. Apesar disso, este grupo respondeu pela maior influência individual para a formação da taxa, correspondendo a 0,31% do índice geral. Os demais apresentaram elevação em relação à semana anterior.

A capital que apresentou maior taxa no mês foi Belo Horizonte (1,05%), enquanto a mais baixa foi Recife (0,14%).