O governador do Estado enviou nesta quinta-feira (03) à Assembléia Legislativa, anteprojeto de lei que eleva, de dois para três anos, a duração do mandato dos diretores e diretores auxiliares dos colégios da rede estadual ensino, eleitos em votação direta pela comunidade escolar. A alteração no artigo 15, da Lei 14.231, de 27 de novembro de 2003, que define os critérios para escolha dos diretores das escolas estaduais, foi proposta pelo secretário da Educação, Mauricio Requião.

O aumento do mandato atende a uma reivindicação dos próprios gestores das escolas. ?Ao assumir a direção do estabelecimento, o eleito precisa de tempo para tomar conhecimento de toda parte burocrática e administrativa da escola, para entrosamento com a equipe de trabalho e para o conhecimento dos docentes, discentes, funcionários e comunidade escolar como um todo. Somente, então, estará em condições de colocar em prática seu Plano de Ação?, destaca a mensagem do governo encaminhada ao presidente da Assembléia, deputado Hermas Brandão.

Antecipada pelo governador em março, na solenidade de posse dos novos diretores em Curitiba, a decisão de aumentar a duração do mandato foi recebida com aplauso pelos professores. ?Dois anos é um prazo muito curto para concretizar o que planejamos?, comentou a diretora do Colégio Estadual Getúlio Vargas, em Iracema do Oeste, Maria Helena Moreira. Rosineiva Pasquale, diretora da Escola Estadual Padre José de Anchieta, de Barracão, concorda com a colega: ?Vamos ter mais tempo para colocar em prática o planejamento e, com isso, consolidar nosso trabalho como gestores das escolas?, afirmou.

Voto direto – As eleições diretas para os diretores de escolas, sem ingerência dos Núcleos Regionais da Educação, foi restabelecida em lei proposta pelo Governo do Paraná e aprovada em 2003. A Lei 14.231 estabelece que os diretores e diretores adjuntos devem ser eleitos pelo voto direto e secreto da comunidade escolar. Podem votar professores, pais e responsáveis, funcionários e alunos.

Na última eleição para escolha dos diretores das 2.095 escolas estaduais, em novembro de 2005, estavam aptos a votar cerca de 2,3 milhões de pessoas nos 399 municípios do estado. Concorreram cerca de 2.500 chapas de professores.