O governo federal editou medida provisória (MP) liberando crédito extraordinário de R$ 13 milhões em favor do Ministério da Integração Nacional para reconstrução das casas de aproximadamente duas mil pessoas do município de Laranjal do Jari, no Amapá, que tiveram suas moradias destruídas em incêndio ocorrido no início deste mês.

A MP 325 foi publicada no Diário Oficial da União de hoje (13).

De acordo com informações dos Ministérios do Planejamento e das Cidades, o incêndio destruiu 260 casas e 120 lojas. As palafitas (casas de madeira sustentadas por estacas fincadas em mangues ou beira de rio) ficavam próximas umas das outras, o que facilitou a propagação do fogo. O incêndio teria começado em uma fábrica de beneficiamento de castanha do Pará da Reserva do Iratapuru, fonte de renda de 22 famílias da região.

Os moradores foram transferidos para uma escola pública, onde aguardam a reconstrução das casas e estabelecimentos. Ainda segundo o Ministério das Cidades, cestas básicas serão distribuídas num período de três meses, prazo previsto para revitalização da área.

Localizada no sul do estado, Laranjal do Jari é a terceira maior cidade amapaense e é, freqüentemente, foco de enchentes e incêndios. Ela já foi considerada uma das maiores cidades-palafita do mundo. O município foi criado em 1973 por causa do Projeto Jari, liderado por um empresário norte-americano que pretendia fabricar celulose na região.