Quatro equipes saíram a campo hoje, em Guarapuava, levantando os estragos causados pelas chuvas de segunda-feira à noite, que destelharam mais de seiscentas casas, destruindo totalmente diversas delas. As equipes são compostas por representantes da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, assistentes sociais do município, técnicos das Secretarias Municipais de Obras e Habitação, da Companhia de Serviços de Urbanização de Guarapuava e Provopar Municipal.

Na noite de segunda-feira uma forte chuva, acompanhado de rajadas de vento com aproximadamente 100 km/h, atingiu diversos bairros da zona norte de Guarapuava. A Defesa Civil e a Prefeitura procuraram atender aos casos mais graves com distribuição de lonas plásticas e telhas, minimizando o sofrimento destas famílias. Não houve registro de feridos graves e também não teve necessidade de abrigar famílias em escolas e ginásios de esportes.

Nesta quinta-feira à noite, voltou a chover forte no município, preocupando ainda mais a administração municipal e equipes da Defesa Civil. É que muitas famílias ainda estavam apenas com lonas plásticas cobrindo as casas. Na manhã desta sexta-feira as equipes saíram para levantar os estragos causados nos bairros e verificar a quantidade de telhas necessárias para cobrir os imóveis mais atingidos e as famílias carentes.

Uma corrente de ajuda humanitária tem movimentado a cidade. A comunidade está doando colchões, roupas, cobertores, alimentos para o Provopar Municipal, que os está repassando para as famílias mais necessitadas. As doações estão sendo feitas pelos telefones (42) 626-5327 e 623-9773, ou podem ser entregues diretamente na sede da entidade, na Rua Padre Chagas, 3200, no centro.

A rede de solidariedade também lançou, na terça-feira (9/12), durante o aniversário de 184 anos de Guarapuava, o Disk-Solidariedade. Trata-se de um telefone que recebe todo tipo de doações, inclusive de bens e serviços, que serão revertidos para as famílias carentes do município. Quem puder colaborar com as famílias atingidas pelas chuvas, pode ligar também para 0800 643-5474. A ligação é gratuita.