O Supremo Tribunal Federal (STF), em nota divulgada nesta quinta-feira (19) em seu site, disse que repudia "as inferências de que possa ter havido tentativa de influenciar decisões dos ministros desta Corte" através da divulgação de dados sigilosos sobre a Operação Hurricane (Furacão), da Polícia Federal, a respeito da máfia dos jogos. O STF também informa ter determinado a abertura de inquérito policial para apurar a responsabilidade pela quebra do segredo de Justiça.

Transcrições sigilosas das investigações, que já levaram à prisão 25 pessoas, foram divulgadas pela imprensa. O ministro do STF Cesar Peluso, responsável pela abertura do inquérito contra o vazamento, afirmou que a divulgação de dados sigilosos é fato "dos mais graves e intoleráveis". Em casos classificados pela Justiça como sigilosos, somente acusados, seus advogados e vítimas podem ter acesso aos processos.

"Além de serem incompatíveis com os cuidados necessários à condução frutífera das investigações, trazem ainda danos gravíssimos à vida privada dos envolvidos, e sobretudo de terceiros meramente referidos, com seqüelas pessoais gravosas e irremissíveis", considerou Peluso.