Depois de experimentar uma forte queda nas vendas no ano passado, o setor de materiais de construção já consolida nem só uma recuperação dessa perda, como também uma superação do desempenho anterior.

Em Curitiba e Região Metropolitana, o comércio varejista do setor, que já cresceu, no primeiro semestre, 17% em relação ao mesmo período de 2009, projeta um fim de ano aquecido, capaz de elevar o índice para mais de 20%.

De acordo com o presidente da Associação dos Comerciantes de Material de Construção de Grande Curitiba (Acomac), Ademir Kurten, são os compradores pessoa física que estão fazendo a diferença e garantindo as melhores vendas deste ano. “Os principais clientes vêm sendo o pequeno construtor, o consumidor formiguinha, o que está fazendo reforma”, aponta.

Na projeção dos comerciantes da Grande Curitiba, nos próximos dois meses a tendência é de aumento no movimento das lojas, especialmente de consumidores que aproveitam o 13º salário e folgas de fim de ano para fazerem pinturas, pequenas reformas ou reparos em suas residências. As melhores vendas são um alento para o setor, que no ano passado teve queda de 14% em relação a 2008.

No Estado, os números também vêm evidenciando recuperação. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em agosto o comércio varejista de materiais de construção vendeu 24,5% mais que no mesmo mês do ano passado. No acumulado dos oito primeiros meses do ano, a melhora é de 18,2%. E o faturamento já é 21,2% melhor que em 2009.

Segundo Kurten, as boas vendas não necessariamente estão refletindo nos preços, que em alguns casos estão até menores. “O aço, por exemplo, está 20% mais barato”, conta.

Por outro lado, dados também do IBGE dão conta de que o custo da construção civil, de janeiro a setembro, no Paraná, está 6,13% maior que no mesmo período do ano passado. No índice, porém, está incluída a mão-de-obra, que aumentou em ritmo maior que os materiais.

Expansão

A indústria do setor também aponta índices semelhantes de crescimento. Ontem, a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) divulgou que as vendas de materiais de construção, no País, cresceram 15,09% de janeiro a setembro ante o mesmo período do ano passado. E informou que o ritmo de expansão nos nove meses é o mesmo esperado para o ano, quando o setor deve crescer 15%.

Na comparação com o intervalo de janeiro a setembro de 2008, as vendas domésticas de materiais ficaram 2,25% menores. Em setembro, houve aumento de 3,56% na comparação com o mesmo mês de 2009, mas queda de 1,26% na comparação com agosto.