A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) tem trabalhado para minimizar os efeitos das restrições comerciais entre Brasil e Argentina que estão deixando lentas as liberações de veículos que chegam ao Porto de Paranaguá. Há mais de 13 mil veículos na área primária no terminal, quando a capacidade do Porto, nos dois pátios para veículos, é de 6,5 mil carros.

A solução encontrada foi adaptar espaços alternativos ao longo do cais para condicionar os veículos e atender a demanda. A direção da Renault do Brasil enviou à Appa uma correspondência, parabenizando toda a equipe pelo atendimento à demanda, mesmo com as dificuldades alfandegárias. A nota diz que a Renault/Nissan fez 11.200 movimentações no Porto de Paranaguá, sendo que 4,2 mil veículos foram retirados do porto num período de sete dias. “A operação foi um sucesso. Realmente os números são incríveis e demonstram a competência de todos os envolvidos nesse fluxo”, diz o comunicado.

De acordo com o superintendente da Appa, Airton Vidal Maron, o Porto tem trabalhado para minimizar os efeitos da crise. “A política determinada pelo governador Beto Richa é de atendimento a todas as demandas ao porto de Paranaguá, estabelecendo uma parceria do Governo com os usuários do porto. Nossos técnicos tem trabalhado para encontrar as melhores soluções para esta questão e estamos obtendo bons resultados.”, disse.

Um terceiro pátio para veículos, com capacidade para 2,5 mil unidades, está em processo de alfandegamento e deve ser liberado em poucos dias. Com isso, o Porto aumentará a capacidade de armazenagem de veículos em 30%, que permitirá atender melhor a demanda.

Restrições

Desde maio, o Brasil não concede mais licenças automáticas para a importação de alguns produtos argentinos – veículos, autopeças, produtos têxteis, entre outros. A medida veio como respostas às restrições semelhantes feitas pela Argentina contra produtos brasileiros, em fevereiro deste ano. O resultado das sanções foi a burocratização no processo de liberação dos produtos importados da Argentina que tem levado até 90 dias para serem liberados. Com as licenças automáticas que vigoravam anteriormente, este prazo não passava de 10 dias.

Esta burocratização no processo acontece justamente num período em que a movimentação de veículos está em alta. Só no primeiro semestre deste ano, o Porto de Paranaguá registrou aumento de 48% na movimentação de veículos. Até junho, foram movimentados 101,6 mil veículos pelo Porto de Paranaguá, contra 68,8 mil no mesmo período do ano passado. Considerando apenas as importações, a alta é de 163%, tendo sido importados 67,7 mil veículos no primeiro semestre deste ano contra 25,7 mil importados no primeiro semestre de 2010. Já as exportações estão em queda no primeiro semestre: 21% menores do que no mesmo período de 2010.

O Porto de Paranaguá é o terceiro porto brasileiro que mais importa veículos, correspondendo a 12% do share nacional do segmento, ficando atrás dos portos de Santos e Vitória.