Curitiba  – O governo do Paraná deverá se reunir na próxima semana com a direção da Renault para discutir a possível revisão do contrato e de cláusulas que prevêem benefícios concedidos à montadora no governo anterior. A intenção de rever alguns dos benefícios vem sendo divulgada pelo governador Roberto Requião (PMDB) desde sua posse.

Continuaremos reafirmando os nossos votos de boas-vindas às empresas estrangeiras. Saibam elas, no entanto, que a festa acabou e que nenhum benefício vai ser dado a elas sem que também os recebam as empresas paranaenses ? afirmou Requião.

A Renault informou que não vai se manifestar sobre o assunto pela imprensa. Segundo informações da secretaria, a ida da fábrica da Renault para São José dos Pinhais (próximo a Curitiba), em 1998, foi garantida por meio de incentivos fiscais oferecidos pelo então governador, Jaime Lerner (PFL).

O atual governo alega que, além do então governador prometer uma participação do estado de até 40% para a construção da fábrica, o Paraná ainda teria renunciado receber o ICMS devido da montadora por dez anos. Somente os investimentos da Renault no Complexo Industrial Ayrton Senna somaram US$ 780 milhões, segundo o governo.

A secretaria estima que a participação societária do estado no capital da multinacional, pelo balanço de 2002, é de apenas 0,2193% das ações, pouco mais de R$ 136 milhões contra o capital integralizado de R$ 3,079 bilhões da montadora.