O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão autorizou, por meio da Portaria nº 166, o concurso que vai preencher 2.200 vagas na Polícia Rodoviária Federal (PRF). Falta apenas a divulgação do edital com as regras do concurso. Segundo a PRF, o documento deverá ser liberado tão logo seja definida a empresa organizadora do concurso. A estimativa é que isso ocorra até o início de outubro.

Já é possível adiantar que, do total de vagas, 1.100 são para preenchimento em 2004 e o restante (as outras 1.100 oportunidades), em 2005. O concurso estará aberto para homens e mulheres com nível de escolaridade médio completo, carteira de habilitação (categoria B) e aptidão física e mental para exercer as atribuições do cargo.

Quem pretende disputar uma das vagas e não tem carteira de habilitação deve procurar rapidamente uma auto-escola e iniciar o processo de aprendizagem, pois o documento será exigido durante o curso de formação profissional, última etapa do concurso. Vale ressaltar que a PRF aceitará também a carteira provisória.

A remuneração inicial para os aprovados é de R$ 3.675,00 mais benefícios, como vale-transporte e vale-refeição (R$ 79,00 mensais). Não é conhecida ainda a distribuição das vagas pelo País e tampouco o período de inscrições e o calendário de provas. Tudo deve ficar claro com o edital. O candidato terá de passar por cinco fases, todas eliminatórias, para ser aprovado e contratado. A primeira consiste de prova objetiva, constituída por 200 questões de Língua Portuguesa, Matemática, Conhecimentos Gerais e de Informática e Legislação de Trânsito.

Os candidatos são submetidos, na fase seguinte, à prova de capacidade física. Se aprovados, passam à terceira parte, a avaliação psicológica, que consiste na aplicação e avaliação de testes projetivos, de inventário de personalidade, de aptidão e de nível mental. Quem passar pelo crivo dos psicólogos vai enfrentar a quarta fase, composta de exames médicos, para depois finalmente encarar a quinta e última etapa. Nela, os selecionados freqüentarão o curso de formação, com duração de quatro meses. Durante o curso, é exigida disponibilidade do aluno em tempo integral e a freqüência é obrigatória.