O diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras, Paulo Roberto Costa, afirmou que o preço atual do petróleo no mercado internacional não se sustenta no longo prazo, uma vez que a relação entre oferta e demanda está equilibrada atualmente. "Muito disso é especulação", afirmou, referindo-se aos US$ 110 por barril que o petróleo leve está cotado na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex).

Costa defendeu a política de preços da Petrobras – de manutenção do valor do litro do diesel e da gasolina desde 2005 – afirmando que o mercado internacional não é o único parâmetro avaliado para determinar os preços dos combustíveis. "No caso da gasolina temos que olhar o combustível concorrente. Se a gasolina estiver muito cara, o consumidor passa a comprar álcool", disse.

Ele explicou que as exportações de gasolina da Petrobras sofrem deságio em relação ao preço internacional em razão da qualidade e do frete. Costa não quis especificar o porcentual desse deságio.