O Dia dos Namorados, comemorado nesta terça-feira (12), não se diferencia de outras datas comemorativas, quando o assunto é a tributação incidente nos presentes, que leva aos cofres públicos uma parcela significativa do valor pago. Pesquisa da VerbaNet Legislação Empresarial Informatizada, empresa que atua na área legal e empresarial, mostra que a carga tributária incidente nos produtos adquiridos pelos casais ultrapassa 50%, como no caso de um perfume importando ? 52,40%.

O levantamento expõe a carga tributária incidente em 23 itens entre os mais procurados pelos namorados, segundo o comércio varejista. As menores tributações são a do livro e a das flores in natura, com 13,88% do preço final. De modo geral, o Brasil tem hoje carga tributária perto de 40%. De cada R$ 100 de riqueza produzida no País, quase R$ 40 ficam com o governo.

O pernoite num hotel, sem os gastos extras, tem uma carga tributária por volta dos 27%. As flores acompanhadas de outros produtos terão a tributação majorada. Entre os produtos que lideram a lista dos mais vendidos e desejados está o telefone celular com câmara, tributado em 27,08%. Já o CD e o DVD têm 36,65% de seu valor recolhido aos cofres públicos.

?O comércio e toda a economia em geral são esmagados pela elevada carga tributária?, argumenta o contador Ernesto Dias de Souza, consultor da VerbaNet Legislação Empresarial Informatizada, que coordenou a pesquisa. ?O percurso do produto da produção até o varejo têm diversas etapas e precisa prever a cobertura de diversos itens, como despesas administrativas (remuneração de diretores e gerentes, etc.), financeiras (juros sobre capital de giro e variações cambiais, etc.) e comerciais (marketing, fretes e remuneração de vendedores, etc.) e os custos diretos e indiretos (mão-de-obra, matéria-prima, etc.)?, explica.