Ao invés do currículo de papel, um publicitário paranaense inventou uma forma criativa de mostrar as suas habilidades. Henrique Murate, de 26 anos, não queria se apresentar às empresas com letras impressas em um papel ou descritas em um e-mail ou site de vagas. Por isso ele confeccionou um boneco-currículo .

“A ideia do boneco surgiu quando estava no fim da faculdade. Analisei que seria difícil entrar em uma boa agência sendo recém-formado, então busquei uma maneira de me diferenciar e ser notado. Defini que seria o boneco porque eu já tinha o equipamento para produzir a maior parte do material. Queria que as agências notassem a minha busca e me dessem uma chance”, conta Murate.

Os bonecos de Murate têm cerca de 25 centímetros de altura e vêm em uma caixa personalizada, que traz o currículo do jovem. Foram feitas 50 unidades e cerca de 30 foram entregues em agências de publicidade de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Para chegar a este resultado, antes ele tentou fazer o desenho do rosto do boneco, mas o resultado não foi bom. Foi então que ele recorreu a uma caricatura, que depois foi digitalizada e transferida para o tecido. Uma costureira finalizou o boneco. Ele também fez o layout da caixa, imprimiu em uma gráfica e depois montou tudo. Segundo ele, o gasto foi de cerca de R$ 7, sendo R$ 3 para o boneco e R$ 4 para a caixa.

Além da formação em publicidade, antes Murate trabalhou no Japão numa, entre 2007 e 2009, em uma fábrica de autopeças. Decidido a atuar na área de publicidade, o paranaense investiu nos bonecos para ver se chama a ataneção de alguma agência para contratá-lo. Na sua página no Facebook, o publicitário documenta a saga da entrega dos bonecos-currículo nas agências.