O núcleo do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) de junho apresentou alta de 0,71%, segundo divulgação realizada nesta quarta-feira, 1, pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O resultado foi levemente superior ao de maio, quando a variação havia sido de 0,69%. No mesmo período de comparação, o indicador cheio apurado pela instituição passou de uma taxa de inflação 0,72%, no quinto mês de 2015, para 0,82% no mês seguinte.

Nos últimos 12 meses acumulados até junho de 2015, o núcleo do IPC-S atingiu alta de 7,16%, o que representou aceleração ante a marca de 6,96% acumulada até maio. No mesmo período, o índice cheio teve aceleração, passando de uma variação positiva acumulada de 8,63% até maio para 9,15% até junho.

A medida de núcleo do IPC-S é calculada por médias aparadas com suavização, com a exclusão de 20% das maiores altas e de 20% das maiores quedas de preços dos itens coletados pela FGV. Em junho, foram excluídos 48 dos 85 itens de expressão componentes do IPC-S. Destes 48 itens eliminados, 24 registraram variações abaixo de 0,34%, que foi a linha de corte inferior, e outros 24 apresentaram taxas acima de 1,08%, que foi a linha de corte superior.