O Ministro das Finanças da China, Lou Jiwei, afirmou nesta segunda-feira, que o país deve completar a reforma do imposto sobre valor adicionado este ano. Anteriormente, Pequim tinha prometido que a reforma acabaria em 2015.

Desde 2012, o governo tenta substituir um imposto de negócios sobre o setor terciário pelo imposto sobre valor agregado (VAT, na sigla em inglês), que é menos oneroso para empresários de serviços. A medida é um dos pilares centrais do esforço chinês para sair de um modelo de economia capital intensivo para um mais focado em serviços.

No final de semana, o primeiro-ministro Li Keqiang disse aos parlamentares do país que o governo deverá expandir para todo o país o projeto piloto que testa a aplicação do VAT em algumas províncias. Isto deve acontecer em maio.

“É uma tarefa difícil para ser concluída este ano”, afirmou Lou em um relatório. “Mas, uma vez que for completada, ela será de grande ajuda para o desenvolvimento do setor de serviços, assim como para a modernização do setor manufatureiro.”

O ministro disse também que a reforma não foi completada no ano passado por causa do grande número de empresas envolvidas na transição, assim como o crescimento menor do PIB do país. “Precisamos levar em consideração as mudanças sobre as empresas e também nossa capacidade fiscal”, disse.

No ano passado, a receita fiscal do governo teve alta de 5,8% ante o ano anterior. Em 2014, esse crescimento foi de 8,6%. Fonte: Dow Jones Newswires.