A inflação de serviços avançou 0,80% em junho, impulsionada pelas passagens aéreas, que ficaram 29,19% mais caras, informou nesta quarta-feira, 8, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em maio, o índice havia subido 0,20%, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Apesar disso, a taxa em 12 meses desacelerou a 7,90% até junho. Trata-se do menor resultado da série do IPCA de serviços, iniciada em janeiro de 2013. O IBGE informou que os índices anteriores a esse período não são comparáveis devido à distinta estrutura. A partir de 2013, o índice de serviços foi atualizado de acordo com a mais recente Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF).

“Acho precipitado (dizer que é por menor demanda). Os serviços ainda têm pressão forte de custo, e ainda está em 7,90%”, afirmou Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de Índices de Preços do IBGE.

Enquanto a inflação de serviços acelerou em junho, o IPCA de administrados perdeu um pouco de força. A alta foi de 1,12% no mês passado, contra avanço de 1,23% em maio, segundo o IBGE. A energia elétrica, destaque de meses anteriores, subiu apenas 0,06%. Mas a taxa de água e esgoto aumentou 4,95%, diante de reajustes em seis regiões. Além disso, houve o aumento de 30,80% nos preços de apostas em jogos de azar.

Com isso, a inflação de monitorados já avança 15,10% em 12 meses até junho, quase o dobro da inflação geral no período (8,89%).