A inflação na cidade de São Paulo, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), estabilizou-se em 0,20% na segunda quadrissemana de agosto, mesma elevação registrada na prévia anterior. Na segunda quadrissemana de julho, o IPC da Fipe havia avançado 0,12%. O resultado ficou pouco acima do piso das estimativas coletadas pelo AE Projeções, que iam de 0,19% a 0,26%, com mediana de 0,23%.

Na comparação entre a primeira e a segunda prévia de agosto, apenas dois dos sete grupos pesquisados tiveram aceleração da alta de preços. São eles: Transportes (de 0,41% para 0,58%) e Vestuário, que passou de uma deflação de 0,04% para uma inflação de 0,11%. Os preços desaceleraram nos demais grupos: Habitação (de 0,36% para 0,35%), Alimentação (que passou de uma queda de 0,46% para -0,53%), Despesas Pessoais (0,65% para 0,57%), Saúde (0,58% para 0,55%) e Educação (de 0,15% para 0,03%).

Veja como ficaram os itens que compõem o IPC:

Habitação: 0,35%

Alimentação: -0,53%

Transportes: 0,58%

Despesas Pessoais: 0,57%

Saúde: 0,55%

Vestuário: 0,11%

Educação: 0,03%

Índice Geral: 0,20%

(Hélio Barboza)