O Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) desacelerou em quatro das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) para cálculo do indicador. Em São Paulo, o índice registrou inflação de 0,80% na quadrissemana encerrada em 22 de abril (terceira prévia do mês), ante a taxa de 0,86% da previa anterior, segundo informou hoje a FGV.

Cinco das sete classes de despesa registraram desaceleração da alta de preços em São Paulo: Vestuário (de 1,13% para 0,83%), Alimentação (de 0,99% para 0,90%), Transportes (de 1,79% para 1,70%), Educação, Leitura e Recreação (de 0,45% para 0,37%) e Habitação (de 0,37% para 0,32%). As principais contribuições para as taxas menores partiram dos itens roupas (de 1,02% para 0,46%), hortaliças e legumes (de 5,62% para 3,86%), álcool combustível (de 15,66% para 13,26%), tarifa de passagem aérea (de 5,59% para 2,91%) e empregada doméstica mensalista (de 1,85% para 0,97%).

Em sentido contrário, subiram em São Paulo os gastos com Despesas Diversas (de 0,49% para 0,73%) e Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,91% para 0,92%), puxados pelos itens cigarro (de 1,00% para 1,57%) e medicamentos em geral (de 1,93% para 2,34%).

Além de São Paulo, a inflação desacelerou em Brasília (de 1,06% para 0,86%), Porto Alegre (de 0,66% para 0,56%) e Rio de Janeiro (de 1,02% para 0,99%). Já Belo Horizonte (de 0,74% para 0,75%), Salvador (de 0,63% para 0,64%) e Recife (de 0,50% para 0,63%) apresentaram aceleração do índice de inflação.

Considerando todas as capitais, o IPC-S registrou variação de 0,80% na terceira prévia de abril, uma taxa de 0,03 ponto porcentual abaixo do divulgado na apuração anterior, de até 15 de abril. O resultado geral foi divulgado ontem pela FGV.