Rio (ABr) – O serviço Exporta Fácil, dos Correios, a cada ano se consolida como um aliado do empresário brasileiro que busca o mercado exterior com rapidez e segurança. Os principais beneficiados são os micros e pequenos empresários, segundo o coordenador de Negócios da Diretoria Regional dos Correios no Rio de Janeiro, Ricardo Mota.

Além de viabilizar negócios, englobando vendas, transferência de mercadorias e remessa de amostras para o Brasil e para o exterior, entre outras atividades, o Exporta Fácil facilita todo o contexto logístico para o exportador brasileiro, informou Mota. ?Todos se beneficiam dessa solução, mas quem mais se beneficia são os micro e pequenos empresários.?

A principal vantagem que o serviço dos Correios dá ao empresariado é a simplificação do processo de exportação. Os Correios fazem toda a emissão da documentação necessária ao despacho aduaneiro, disse Mota.

?Há uma plena parceria com a Secretaria da Receita Federal no que diz respeito aos processos de fiscalização aduaneira?, observou, esclarecendo que através dos Correios o pequeno exportador entra no Sistema Integrado de Comércio Exterior (Siscomex), ?desmistificando aquela antiga idéia de dificuldade para a exportação brasileira?.

O coordenador destacou outro fator positivo, que é a capilaridade dos Correios. ?Nós estamos em todos os municípios do País. E hoje nós criamos essa facilidade física para esse pequeno exportador, inclusive o artesão que queira entrar no processo de exportação brasileira, que é a facilidade territorial por conta de termos hoje oito mil agências habilitadas a captar essa mercadoria para exportação?, informou.

Ele reiterou que a burocracia no serviço Exporta Fácil é bastante reduzida, limitando-se ao preenchimento de um formulário pelo cliente, pessoa física ou jurídica. ?Essa redução foi uma ação do governo em que todos os órgãos participantes, operadores ou anuentes como a Receita Federal, Ministério da Agricultura, e Ministério da Saúde estão envolvidos na política de comércio exterior do governo federal. E acima de tudo cria essa facilidade legal?, ressaltou.

Ricardo Mota destacou que quando se trata de um exportador que faz a operação pela primeira vez, a atuação dos Correios ultrapassa a operação propriamente dita. A estatal dispõe de uma estrutura de salas de negócios internacionais onde profissionais qualificados são envolvidos, inclusive na formação desse exportador.