O número de empregados na indústria automotiva no País alcançado em outubro, de 135.253 pessoas, é o melhor já registrado pelo setor desde janeiro de 1991, segundo o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfravea), Cledorvino Belini. “Considerando toda a evolução tecnológica dos últimos 20 anos é um crescimento significativo”, afirmou.

O executivo adiantou, no entanto, que esse nível de emprego não deve crescer nos próximos meses, quando o setor espera crescimento nas vendas, por conta das vendas de final de ano. “A indústria já contratou o que precisava para atender à demanda de final de ano. Novos ajustes podem ser feitos ainda com o adiamento das férias coletivas, se necessário”, disse.

O executivo preferiu não fazer projeções sobre novas contratações para 2011, mas lembrou que o setor projeta um mercado de 5 milhões de unidades produzidas para 2015 e que novas empresas estão se instalando no País. “Tudo, no entanto, vai depender do tamanho do mercado. Se houver demanda, haverá crescimento”, afirmou.

Projeções

O presidente da Anfavea minimizou hoje a queda de 1,3% nas vendas de veículos em outubro, na comparação com setembro, para 303,2 mil unidades e justificou que outubro teve apenas 20 dias úteis, ante 21 do mês anterior. O executivo ressaltou que, quando comparada a média diária de vendas, houve aumento. “Vendemos 15.159 unidades por dia em outubro, ante 14.622 veículos de setembro, o que representa um crescimento de 3,7%”, destacou. Segundo Belini, a média diária de vendas de outubro também é maior que igual mês do ano passado em 8,1%, quando foram vendidas diariamente 14.022 unidades.

O executivo avalia que o mercado continua em expansão devido ao aumento da disponibilidade de crédito, redução dos juros e aumento da confiança do consumidor. Segundo a Anfavea, em setembro, o saldo total de crédito para o setor era de R$ 176 bilhões, o que indica crescimento de 15,5% ante igual mês do ano passado. Os juros, por sua vez, caíram 0,2 ponto porcentual, para 18,7% ao ano na mesma base de comparação, enquanto a inadimplência caiu para 3,1%, ante 4,9% de igual mês de 2009.

O presidente da Anfavea manteve as projeções do setor para 2010. A previsão atual é de aumento de 8,2% nas vendas internas de veículos, somando 3,4 milhões de unidades. Para as exportações, a projeção indica aumento de 57,9%, para 750 unidades (incluindo CKD), e de 54% em valores, para US$ 12,8 bilhões. A produção, por sua vez, deve somar 3,6 milhões de unidades, com alta de 13,1%.