A inauguração contou com as presenças do
vice-governador do Estado, Orlando
Pessuti
e do presidente da Copel, Paulo Pimentel.

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) inaugurou ontem as novas instalações do Centro de Operação do Sistema Elétrico (COS), responsável pelo controle de transmissão de eletricidade do Paraná. Com as novidades, os técnicos da empresa serão capazes de coordenar, ao mesmo tempo e com mais precisão, as quatro usinas geradoras, as 130 subestações de grande porte e os sete mil quilômetros de linhas de transmissão em alta tensão. O custo do projeto de modernização foi de R$ 1 milhão.

A inauguração contou com as presenças do presidente da Copel, Paulo Pimentel, e do vice-governador do Estado, Orlando Pessuti, além de representantes da empresa e funcionários. O evento também fez parte do início das comemorações do aniversário de 50 anos da empresa, que serão completados em outubro.

A modernização do COS, que foi criado em 1968, vai permitir que os operadores identifiquem situações importantes do sistema, como eventuais panes, desligamentos e pontos de sobrecarga, com mais rapidez e imediata atuação. “É uma demonstração de atualidade no setor de energia. O COS é um dos mais modernos do mundo”, comenta Pimentel. De acordo com o presidente, os usuários serão beneficiados com as novas instalações, que permitem mais segurança no sistema elétrico estadual. “Elas vão garantir o padrão de qualidade da energia fornecida pela Copel”, afirma.

Pimentel ressalta que este panorama prova que a empresa é um exemplo para os paranaenses. “Mostra que uma companhia pública é capaz de competir com uma privada e obter excelentes resultados”, conta. O presidente da Copel, aproveitando o início da comemoração de 50 anos da empresa, lembrou do processo de privatização ao qual a Copel seria submetida, em 2001. “A Copel sofreu imensas dificuldades na história, mas a principal foi a tentativa de privatização. Mas a empresa sobreviveu. Onde estão aqueles que diziam que a Copel acabaria?”, questiona.

Devido a esse resgate da importância da empresa, o governador do Estado, Roberto Requião, reconheceu que a Copel é um dos pilares de seu governo. “É um modelo do que deve ser seguido no processo de desenvolvimento do Paraná”, afirma Orlando Pessuti, vice-governador. “É um motivo de orgulho para o governo e todos os paranaenses”, completa.

Ações

Durante a inauguração, Pimentel anunciou uma maior atuação contra os casos de ligações clandestinas de energia. Segundo o presidente, haverá reforço na quantidade de fiscais e de equipamentos para combater este problema. Pimentel orienta os usuários irregulares a procurarem a Copel para normalizarem a situação. “Nós achávamos que estava restrito às favelas, mas não é verdade. Frigoríficos e edifícios de médio e grande porte também cometem o roubo de energia”, revela. “A Copel vai punir quem comete este crime”, avisa Pimentel.

O vice-governador Pessuti também aproveitou para pedir apoio da companhia a fim de acabar com a falta de energia na área rural. “O governo do Estado e a Copel têm a missão de resolver alguns problemas, como a falta de eletricidade no campo. Somente com energia poderemos seguir com o desenvolvimento do Paraná”, afirma.