Rio – Quinze mil brasileiros deixaram de ser milionários no ano passado. O número de pessoas com mais de US$ 1 milhão em investimentos financeiros caiu de 90 mil para 75 mil no Brasil em 2002. Os dados constam do “World wealth report 2003” (“Relatório da riqueza mundial 2003”), uma espécie de Raio-X dos milionários do planeta elaborado anualmente pelo banco norte-americano Merrill Lynch e pela Cap Gemini Ernst&Young.

No mundo inteiro, o número de investidores com mais de US$ 1 milhão cresceu 2,1%, para 7,3 milhões de pessoas. A fortuna desses milionários aumentou em 3,6%, para US$ 27,2 trilhões. Apesar de não ter dados específicos sobre a quantia em dinheiro dos milionários brasileiros, o relatório da Merrill Lynch afirma que o Brasil seguiu a tendência da América Latina: caiu o número de pessoas com investimentos acima de US$ 1 milhão, mas aumentou sua riqueza.

Segundo Carla Lualdi, gerente global da Merrill Lynch no Brasil, a crise econômica de Argentina e Venezuela riscou da lista 3,6% dos milionários da América Latina. Mas a fortuna desses indivíduos cresceu 2,7%, para US$ 3,6 trilhões.

“Os investidores da América Latina têm uma propensão a aplicações em renda fixa, em vez de ações, e a investir em ativos indexados ao dólar”, afirmou Carla no relatório.

A preferência pelo dólar evitou perdas, frente às fortes desvalorizações das moedas da região em 2002. E o ano passado foi marcado por fortes perdas nas bolsas de valores – das quais os investidores latino-americanos se mantiveram afastados.