As ações dos bancos mostram recuperação na abertura dos negócios desta segunda-feira (11) na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) após a queda da sexta-feira. Por volta das 10h30, os títulos do Bradesco avançavam 0,64%, com 180 negócios fechados; Itaú ganhava 0,43%, com 39 transações; e Unibanco mostrava evolução de 0,42%, com 343 negócios. Na sexta, Bradesco caiu 1,16% e Unibanco, 1,38%. Banco do Brasil perdia 0,57%, depois da alta do último pregão da semana passada. A Bovespa subia 0,54%.

Os papéis dos bancos caíram na semana passada influenciados por alertas do banco norte-americano JP Morgan e pelo corte de 0,50 ponto porcentual da Selic. Embora o nível de redução do juro básico nesse patamar fosse esperada, o mercado desconfia se ele continuará nessa mesma proporção nos próximos encontros do Comitê de Política Monetária (Copom) ou se o Banco Central voltará ao 0,25 ponto.

Na sexta-feira o BC também anunciou medidas referentes à exposição cambial das instituições financeiras. Uma delas reduz o limite de exposição de 60% para 30%. Outra, eleva de 50% para 100% a exigência de capital necessário para fazer frente ao nível dessa exposição.

A primeira leitura do mercado é de que, na prática, tratam-se de regras administrativas com objetivo de diminuir o ritmo de baixa das cotações do dólar, uma vez que reduzem as posições vendidas das instituições. Os operadores desconfiam que, se o impacto for marginal sobre o câmbio, o BC pode vir a adotar medidas adicionais.