O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, afirmou nesta terça-feira (14) que a recessão norte-americana, iniciada em dezembro de 2007, pode estar se amenizando e disse estar “fundamentalmente otimista” em relação às perspectivas para economia no longo prazo.

“Recentemente, vimos sinais preliminares de que a forte queda da atividade econômica pode estar perdendo força”, segundo discurso preparado que Bernanke fará mais tarde em evento em Atlanta. O jornal USA Today divulgou partes do discurso.

O presidente do BC dos EUA citou especificamente os dados recentes sobre o setor imobiliário, de gastos com consumo e de vendas de veículos novos para indicar que a recessão está diminuindo.

Inflação

Bernanke também observou que, apesar dos esforços extraordinários que o Fed tem tomado para sustentar os mercados financeiros e a economia, o BC dos EUA não ignorou a inflação. Segundo ele, o Fed “leva sua obrigação de garantir a estabilidade dos preços de modo extremamente sério”.

A estabilidade dos preços não implica necessariamente que a inflação é zero e Bernanke acrescentou que a maior parte das autoridades do Fed gostaria de ver a taxa anual de inflação próxima a 2% no longo prazo. “Agora, em consequência do enfraquecimento das condições econômicas aqui e no mundo, a inflação tem estado abaixo disso e nossa melhor projeção é de que a inflação permanecerá um baixa por algum tempo”.

Bernanke também sinalizou que as autoridades estão cientes da necessidade de uma estratégia para quando a economia melhorar. De acordo com Bernanke, as autoridades “estão totalmente comprometidas em tomar as medidas necessárias para retirar, no momento correto, o apoio extraordinário que está sendo oferecido nesse momento para a economia e estão confiantes em nossa habilidade para fazê-lo”. As informações são da Dow Jones.