A Espanha deve conhecer nos próximos dias um número histórico. Segundo o jornal britânico Financial Times, o banco Bankia vai anunciar um prejuízo de 19 bilhões de euros no ano passado, o maior da história de uma empresa espanhola. O rombo foi gerado especialmente após a transferência de ativos para o novo banco criado para receber os ativos de difícil liquidação, o Sareb.

Segundo o FT, boa parte do prejuízo – de cerca de 12 bilhões de euros – foi concentrada no quarto trimestre de 2012, quando foram transferidos ativos considerados ruins para o Sareb. Nessa operação, o Bankia entregou operações de crédito que estão inadimplentes e que são de difícil recuperação. Normalmente, são financiamentos imobiliários concedidos antes do estouro da bolha espanhola. Ao transferir o crédito, porém, o Bankia recebe um valor em dinheiro com grande desconto em relação ao crédito total. Portanto, com prejuízo.

Já no meio da crise econômica espanhola, o Bankia nasceu em 2010 da fusão de sete bancos regionais, sob a liderança da Caja Madrid e da Bancaja. O ex-presidente do Fundo Monetário Internacional (FMI) Rodrigo Rato foi o primeiro presidente da instituição, que chegou a lançar ações na Bolsa de Valores de Madri.

O problema, porém, é que todos os sete bancos originais tinham elevado porcentual de operações de crédito ruim nas carteiras, majoritariamente imobiliário. Atualmente, o governo espanhol tem cerca de 45% do capital do Bankia. Mas, segundo o FT, é esperado um resgate nas próximas semanas, o que pode elevar a participação estatal no banco para mais de 70%.