O lucro líquido do banco ABN Amro Real subiu 84% no primeiro semestre de 2007 e somou R$ 1,26 bilhão. Se excluídos os fatos extraordinários, como a venda da Serasa e investimentos em terceirização, o aumento do ganho diminui para 46% e atinge R$ 1 21 bilhão. O retorno sobre o patrimônio líquido médio subiu de 16,3% para 25,4%. O índice de eficiência da instituição melhorou sete pontos porcentuais, de 53,2% para 46,2%. Nesse caso, quanto menor o número, melhor a eficiência da empresa.

O presidente do ABN Amro Real, Fabio Barbosa, explica que o principal responsável pelo aumento do lucro no semestre foi o avanço da carteira de crédito. De janeiro a junho, os empréstimos subiram 25% em relação a igual período de 2006, de R$ 43,35 bilhões para R$ 54,31 bilhões. Com exceção do portfólio voltado para grandes empresas, que recuou 30%, os demais segmentos cresceram acima de 20% no semestre. Nos produtos criados para pessoa física, o avanço foi de 27%. O que lhe garantiu uma participação de 9,2% do mercado ante 8,8% do primeiro semestre de 2006.

As linhas de crédito voltadas para médias companhias foram as campeãs de demanda, com avanço de 40,3% da carteira. Da mesma forma, o portfólio com produtos desenhados para as pequenas empresas subiu 33,4% comparado com o igual período de 2006. No crédito imobiliário, Barbosa acrescentou que o aumento ficou na casa de 37% e somou R$ 2,3 bilhões.