As ações da Vivo e da Telemig fecharam em forte alta, com variações bem acima da média de mercado, por conta de rumores que davam conta de que a operadora de telefonia mineira havia sido comprada pela empresa de celular controlada pela espanhola Telefónica e pela Portugal Telecom (PT). A Vivo confirmou nesta sexta-feira (27) interesse no ativo, mas negou que o processo de venda tivesse sido concluído.

Num dia em que o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, caiu 1,8%, os papéis preferenciais da Vivo avançaram 3,59% e as ações ordinárias, 0,29%. Já as ações preferenciais da Telemig encerraram o dia com uma valorização de 2,98% e as ordinárias, de 4,29%. Para analistas de mercado, os rumores de venda motivaram a alta destes papéis. Segundo notícia publicada nesta sexta-feira pela Gazeta Mercantil, a Vivo teria acertado a compra da Telemig e a Amazonia Celular, que estão sendo vendidas juntas.

Depois de terem sido suspensos na parte da manhã, os negócios com as ações da Telemig e da Amazônia Celular foram reabertos por volta das 13 horas. Um pouco antes disso, a Vivo enviou comunicado à Bovespa. A controladora das duas operadoras à venda também enviou nota esclarecendo que o processo de venda ainda estava em curso.

Na nota, o presidente da Vivo, Roberto Lima, confirma que a operadora tem interesse nos dois ativos. Ele já havia admitido o interesse na semana passada, durante divulgação dos resultados da empresa. O comunicado também registra que o processo de venda está em curso e informa que, "caso tal processo resulte na venda do controle das referidas sociedades para a Vivo Participações, serão prestadas as informações pertinentes nos termos da lei".

A Telpart, controladora da Telemig e Amazônia Celular, também divulgou nota informando que "está promovendo um processo competitivo amplamente divulgado para avaliar oportunidades de desinvestimento relacionado às suas controladas Telemig Celular Participações S/A e Tele Norte Celular Participações S/A ("Controladas"). Além disso, a nota informa que o processo não foi concluído e, por isso, não houve decisão de venda.

Na prática, a avaliação do mercado é de que a Telemig é crucial para expansão da Vivo. Isso porque a operadora não opera em Minas Gerais. A empresa informou esta semana que, independentemente do resultado da venda da Telemig, pretende participar dos leilões de sobra de freqüência para explorar o serviço em Minas Gerais.