paulopimentel290306.jpgPaulista de nascimento, o coração do empresário Paulo Pimentel é curitibano por quase 45 anos. O vínculo com a cidade começou a se fortalecer já na primeira visita, em 1961. ?Vim conhecer Curitiba somente no dia em que fui convidado para ser secretário de Estado da Agricultura. A primeira impressão que tive foi de uma cidade bonita, simpática, porém pequena e provinciana. Naquela época as pessoas secavam roupas no canteiro central da Avenida Visconde de Guarapuava?, comenta.

O empresário lembra que foi recebido com muita simpatia e logo adotado pela cidade. Pimentel conta que, a princípio, a idéia era a de ficar apenas por seis meses. No entanto, em pouco tempo estava entrosado e acostumado com a cidade. Cinco anos depois era governador do Estado. Em Curitiba, fixou residência e acompanhou o desenvolvimento da cidade. ?Em todos esses anos, a cidade cresceu assustadoramente. Quando cheguei eram 300 mil habitantes, hoje está perto dos dois milhões?, compara.

Nos dias de hoje, o empresário diz que, apesar do trânsito já estar difícil, a locomoção e os acessos ainda são facilitados. O clima é muito agradável: nem frio extremo, nem calor exagerado. Sobre o curitibano, ele diz que – ao contrário de muitos povos – não é egoísta e tem prazer em dividir, com quem chega, o bem-estar da cidade. ?Ele cede o espaço, se envaidece e se glorifica?, ressalta.

Paulo Pimentel se lembra de alguns locais de Curitiba que ajudou a construir. O paisagismo do Centro Cívico e a construção do prédio onde hoje está o museu Oscar Niemeyer, sem o olho, tiveram a contribuição do ex-governador.