O Departamento de Trânsito do Paraná (Detran/PR) realiza nesta quarta-feira
(01), em Guarapuava, o leilão de 966 veículos de 43 municípios. São automóveis e
motocicletas apreendidos em blitze cujos donos não foram retirá-los
principalmente em função dos altos valores em impostos atrasados e multas de
trânsito.

Os veículos se encontram nos pátios do Detran/PR das cidades de
Curitiba, Ponta Grossa, Paranaguá, União da Vitória, Pato Branco, Guarapuava,
Cascavel, Campo Mourão, Jacarezinho, Londrina, Maringá, Paranavaí, Apucarana,
Foz do Iguaçu, Arapongas, Umuarama, Bandeirantes, Telêmaco Borba, Ibaiti, Rio
Negro, Francisco Beltrão, Dois Vizinhos, Toledo, Ivaiporã, Cambará, Rolândia,
Jandaia do Sul, Lapa, Palmas, Ibiporã, Santo Antônio do Sudoeste, Laranjeiras do
Sul, Astorga, Cambé, Terra Boa, Chopinzinho, Pitanga, Cianorte, Sarandi,
Matelândia, Imbituva, Catanduvas e Marilândia do Sul.

A arrecadação
mínima estimada pelo Detran/PR para este leilão é de R$ 179.120,00. Os valores
obtidos com a venda dos veículos são usados para cobrir as despesas dos mesmos
em impostos atrasados, multas não pagas e taxas de remoção e estadia nos pátios.

A presidente da Comissão de Leilão do Detran/PR, Sônia Cabral, explicou
que normalmente o valor obtido com a venda do veículo não é o suficiente para
pagar esses débitos. Ela cita o exemplo de um automóvel que foi arrematado por
R$ 9,2 mil num leilão realizado em Curitiba, em abril do ano passado, mas que
tinha débitos no valor de R$ 38 mil. Quando o valor da venda é insuficiente para
cobrir os débitos, o proprietário do veículo é inscrito em dívida ativa e a
cobrança dos valores é feita judicialmente