"Agora acabou", afirmou o deputado Onyx Lorenzoni (PFL/ RS) ao tomar conhecimento da existência de um cheque emitido pelo empresário Sebastião Buani para o presidente da Câmara, Severino Cavalcanti (PP-PE).

Segundo Lorenzoni, não há condições de Severino ficar no cargo. De acordo com o parlamentar, se ele insistir em presidir a sessão esta tarde, no processo de cassação do Roberto Jéferson (PTB-RJ), "a oposição promete constranger todo o tempo".

Para o deputado Eduardo Cardoso (PT/SP), se o presidente da Câmara não tiver uma explicação razoável, fica inviável sua permanência no cargo. "Se não tiver explicação razoável, ele deveria renunciar", disse.