O tempo virou completamente no início da noite deste domingo. No dia em que Curitiba teve a tarde mais quente de 2020, os ventos que marcaram presença durante todo o domingo (27) trouxeram nuvens mais carregadas e a frente fria que estava rondando a região chegou com força. Temporal, chuva, vento e muitos raios.

ATUALIZAÇÃO: Curitiba está sob alerta de temporal e com previsão de mais calor nesta segunda

“Finalmente o tempo mudou e as chuvas voltaram ao estado do Paraná neste domingo. Há chuvas isoladas com muitos raios e até já ocorreu eventos de granizo em algumas cidades do oeste. A imagem do radar mostra que as chuvas tem forte intensidade, mas atingem poucas áreas. Há também informação sobre descargas elétricas que acompanham as chuvas”, disse a meterologista do Simepar, Ana Beatriz Porto.

Alguns bairros de Curitiba ficaram sem luz após chegada da tempestade. No final da noite a Prefeitura emitiu um boletim da Defesa Civil sobre o temporal. “No período da tarde desse domingo (27/9) Curitiba recebeu pancadas de chuva localizada, com registro de granizo e queda de energia em alguns bairros. Os mais afetados foram: Santa Cândida, Boa vista, Abranches, Barreirinha e Bairro Alto. Até 21 horas, foram registradas 20 solicitações de lona no sistema da Guarda Municipal de Curitiba. Não houve registro de feridos, desalojados ou desabrigados”.

+ Leia mais: Prefeito de Curitiba Rafael Greca e sua esposa estão internados com covid-19

O início da tarde abafado fez com que as temperaturas chegassem aos 33,5°C. O vento forte e quente transformou a cidade e sua região metropolitana em uma verdadeira sauna e fez com que Curitiba batesse o recorde de temperatura de 2020.

Granizo na RMC

Leitores da Tribuna relataram a ocorrência de granizo em algumas cidades da região metropolitana de Curitiba. Como neste vídeo, gravado em Rio Branco do Sul. Veja:


Também choveu granizo em Colombo e em alguns bairros de Curitiba. Veja as fotos:

+ Veja também: Volta do litoral para Curitiba tem trânsito lento na Serra do Mar

Primavera sem muita chuva

A crise hídrica que afeta o Paraná vai seguir, ao menos, até o começo de 2021. A expectativa de chuvas mais intensas e nas proximidades dos reservatórios de água não é nada animadora na primavera e tampouco no verão. Indicativos apontam que as chuvas nesta estação seguirão abaixo da média histórica e a economia no uso racional da água deverá seguir nas torneiras paranaenses. A previsão mais otimista aponta para um verão um pouco mais chuvoso.