O caso da menina de oito anos resgatada pela polícia do lado de fora de um abrigo infantil de Santa Felicidade, em Curitiba, na noite da última sexta-feira (29) segue sob sigilo. De acordo com informações divulgadas pelo Conselho Tutelar de Santa Felicidade na tarde desta segunda-feira (2), a criança está sendo acompanhada pelos conselheiros e para garantir sua proteção.

“Informações sobre o caso serão passadas somente ao Juizado da Infância e Juventude através de relatório”, esclarece o Conselho Tutelar de Santa Felicidade, em nota.

Já a cuidadora do abrigo, que foi levada para a Central de Flagrantes da Polícia Civil, em Curitiba, após ter supostamente aplicado o castigo à criança, responde ao processo em liberdade.

“Ela foi autuada em flagrante delito pelo crime de maus-tratos em situação de violência doméstica e familiar, pagou fiança de R$ 1 mil reais e encontra-se em liberdade. O procedimento criminal já foi comunicado ao Poder Judiciário e Ministério Público”, informa a Polícia Civil.

A representante do abrigo contesta a versão de maus-tratos, afirmando que a criança foi para o lado de fora por conta própria.

Entenda o caso

A menina foi encontrada por duas mulheres que passavam em frente ao abrigo de carro, na Rua Padre José Martini, por volta das 22h30 de sexta-feira. A criança estava apenas com um cobertor e o portão da entrada principal local estava cadeado. A criança disse às mulheres que teria sido colocada para fora como castigo, por pegar uma maçã e um pedaço de queijo na geladeira do abrigo, por estar com fome.

A Polícia Militar (PM) foi acionada e nos registros da ocorrência, atendida por uma equipe do 12.º Batalhão da PM, consta que os policiais confirmaram a situação de maus tratos com as solicitantes e com a menina.

https://www.tribunapr.com.br/noticias/curitiba-regiao/cano-estourado-alaga-casas-e-destroi-muros-em-bairro-nobre-de-curitiba/