Cansado de esperar pelo pagamento de seus trabalhos em uma famosa casa noturna da rua Mateus Leme, em Curitiba, Adão Gomes da Silva resolveu contar ao Paraná Online a sua situação nesta segunda-feira (15). De acordo com o funcionário, a empresa deve para ele R$ 440 reais, sendo que R$ 300 seriam relativos ao ano passado.

Silva, que já trabalhou na Fundação Cultural de Curitiba (FCC), afirmou que, na área de gastronomia, os patrões aproveitam para “sugar” os empregados. “As pessoas tem baixo nível de educação. O que faz com que os patrões possam explorar. Trabalhei como um camelo” desabafou.

Adão disse que, no entanto, o problema não se restringe a ele. “Outros funcionários também têm ou tiveram dificuldades para receber. Algumas bandas também”.

O outro lado

Gilberto Carvalho, proprietário da casa, disse que o problema é pontual. “Eu combinei de pagá-lo nesta segunda, mas não consegui. É só ele passar lá no bar”, disse. “Ele era uma bom funcionário. É só passar lá e pegar o dinheiro”.

Quando perguntado a respeito do valor em débito com Adão, referente a 2013, Carvalho disse que precisa conversar com uma funcionária responsável pelos pagamentos. “Eu não fico no bar, por isso, não sei exatamente quando as pessoas trabalham”.