Motoristas e pedestres que passam pelo entroncamento da Avenida Anita Garibaldi com a Rua Flávio Dallegrave, no Barreirinha, já estão sem paciência com os congestionamentos que ocorrem principalmente nos horários de pico. No início da manhã e no fim da tarde, o local fica tomado por carros, ônibus e caminhões, e a situação se agrava devido à passagem de um trecho da linha férrea.

A dica foi passada pelo leitor Edson Luiz Rodrigues. Ele relata que muitas crianças transitam pela região com destino aos colégios próximos e aponta que a via não está preparada para receber o alto fluxo de veículos. “Para desviar o congestionamento da região os ônibus Ligeirinho cortam caminho pelo local. Por ser um veículo pesado e grande, quando chegam no cruzamento da Anita Garibaldi com Humberto Lewis, eles forçam a passagem, quase causando acidente”, conta. Segundo Edson, já houve até um capotamento com óbito no local. “As autoridades não tomam providências para salvaguardar a vida e a integridade das pessoas que transitam no local. Já fiz denúncias pelo fone 156 e não obtive retorno”, reclama.

Os Caçadores de Notícias foram conferir o problema de perto. Quem mora na região e precisa utilizar o transporte público chegar a demorar mais de 5 minutos para conseguir fazer a travessia, já que não há locais seguros para isso. “Tem dia que eu chego a demorar um bom tempo pra conseguir atravessar a rua. E quando eu consigo, sou obrigada a correr que nem uma louca. É muito perigoso e não há nenhum outro local pra fazer uma travessia segura”, afirma a dona de casa Janete de Paula, moradora da região.

O segurança Oswaldo Araújo da Silva também passa diariamente pelo local. Ele conta que é preciso redobrar a atenção quando passa pelo trecho. “Essa bifurcação é muito perigosa, pois muita gente usa a Rua Flávio Dallegrave para evitar o trânsito pesado da Anita Garibaldi e o caos fica completo. E pra quem anda de bicicleta, como eu, não tem saída. Tem que pegar trânsito de qualquer jeito”, diz.

“No final da tarde fica tudo parado nos dois sentidos. É muito carro e um fluxo grande de ônibus e pedestres. Mas quem sofre mais é quem está a pé, pois não tem como atravessar. Para chegar ao outro lado da rua, só correndo e se arriscando”, constata o comerciante Paulo Henrique Tadenni.

Problema identificado

A Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) informou que a situação do entroncamento da Avenida Anita Garibaldi com a Rua Flávio Dallegrave já é conhecida por parte da prefeitura. Segundo a Setran, estudos para a instalação de sinalização para auxiliar a travessia dos pedestres no trecho já estão sendo realizados, mas ainda não há previsão para a instalação do equipamento.

Marco Charneski
Excesso de velocidade dos ônibus é outro problema.