Com a confirmação do primeiro caso de coronavírus no Brasil, as autoridades de saúde do país reforçam os cuidados para prevenir o avanço da doença que já vitimou mais de 2.7 mil pessoas na China até o dia 26 de fevereiro e avança pela Europa, principalmente pela Itália.

Para conter a chegada da doença a Curitiba, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) elaborou uma nota com informações técnicas sobre o coronavírus para ser seguida em unidades de saúde, clínicas e hospitais.

LEIA TAMBÉM – Coronavírus: perguntas e respostas sobre o novo vírus

Quais os sintomas do coronavírus?

Os sintomas do coronavírus podem parecer com uma gripe ou resfriado, o que dificulta o diagnóstico. Por isso a saúde pública orienta que quem esteve na China recentemente, principalmente na cidade Wuhan, epicentro da doença, comunique os profissionais de saúde.  “Informar a possibilidade de exposição ao vírus é fundamental para a avaliação do caso, uma vez que são sintomas semelhantes a outras doenças respiratórias”, explica diretor do Centro de Epidemiologia da SMS, Alcides Oliveira.

+Fuja da cilada! Quatro passos para você não cair nas fake news sobre o coronavírus

Os sinais comuns da infecção incluem febre, tosse e dificuldade para respirar. Nos casos mais severos, a infecção pode evoluir para pneumonia. A transmissão ocorre de como na gripe e outros vírus respiratórios, através de gotículas respiratórias, por tosses e espirros em curta distância, ou contato com objetos contaminados pelo vírus.

Como prevenir o coronavírus

  • Lavar as mãos com frequência, ou utilizar álcool 70%, principalmente antes de consumir algum alimento.
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal.
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir.
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca, higienizar as mãos após tossir ou espirrar.
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas.
  • Manter ambientes bem ventilados, evitar contato próximo com pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença. 
  • Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.
  • Pessoas com sintomas de infecção respiratória aguda devem praticar etiqueta respiratória (usar máscara ou cobrir a boca e nariz ao tossir e espirrar, preferencialmente com lenços descartáveis e após lavar as mãos).