O Ministério Púbico do Paraná (MP-PR) apresentou, nesta segunda-feira (14), uma denúncia contra o caminhoneiro envolvido no acidente que provocou a morte de seis pessoas na BR-277, em maio deste ano. O motorista chegou a ser preso no dia da colisão, que aconteceu em Balsa Nova, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), mas foi solto no dia seguinte.

A denúncia do MP-PR pede que o caminhoneiro seja condenado por homicídio duplamente qualificado, com dolo eventual. Essa classificação diz respeito a situações em que o suspeito assume o risco de matar alguém. De acordo com o órgão, o motorista estava dirigindo em alta velocidade nas proximidades de um trecho em obras onde havia uma fila de veículos. Mesmo assim, o caminhoneiro ignorou a sinalização que indicava a redução velocidade no trecho, segundo a denúncia.

Uma das razões que levaram à decisão da promotoria foi a ausência de manutenção adequada dos freios. Segundo o laudo do processo, houve rompimento de mangueiras pneumáticas e a ausência de pinos de fixação. O promotor afirma que o motorista tinha conhecimento do problema e deixou de fazer a manutenção para reduzir os custos do veículo.

Próxima instância

Depois da denúncia, a próxima instância é a Justiça decidir se aceita ou rejeita o processo. Em caso de aceite, uma ação penal será aberta, e o caminhoneiro poderá ser levado a júri popular. Não há, porém, prazos para as tramitações.