Uma “nova brincadeira”, que de divertida não tem nada, está preocupando pais e professores de alunos de uma escola pública, no bairro Santa Felicidade, em Curitiba. O alerta, emitido pelos próprios pais em grupos de Whatsapp, dá conta que, nas últimas semanas, várias crianças têm participado de uma espécie de “desafio” no qual a proposta é – pura e simplesmente – cortar os braços com lâmina de apontador.

Inventado pelos próprios alunos, o “jogo” não tem objetivo definido. Pelo menos é o que afirmou a mãe de uma aluna matriculada numa das turmas do quinto ano da instituição, que preferiu não se identificar. À reportagem, ela afirmou que na sala de sua filha, duas meninas realizaram a mutilação e incentivaram outras colegas a fazerem o mesmo. “Não sabemos o porquê desse desafio e nem em que lugar da escola elas fazem isso. Se é na sala de aula, no banheiro ou em algum ponto do pátio. Correram boatos de que era por causa de namoradinho mas também disseram que pode ser algo relacionado ao jogo da baleia azul”, afirmou.

Conforme relato da mesma mãe, a “brincadeira” está se espalhando entre alunos do quinto, sexto e sétimo ano da escola e só foi descoberta pelo desconfiança de alguns pais. “Minha vizinha notou que a filha dela estava usando blusas demais e sempre cobrindo os braços com mangas longas, mesmo dentro de casa. Quando ela viu, a menina estava com cortes profundos nos braços. Foi aí que soube da situação e descobriu que não era só com a filha dela que estava acontecendo”, revelou.

Leia mais: Assista: vídeo mostra ‘Surfista do busão’ por 60km em cima do ônibus

Ao tomar conhecimento do fato, segundo a responsável, a direção da escola orientou os pais a tomarem providências no sentido de conversarem e precaverem os filhos sobre a prática. Por meio de nota enviada à Tribuna do Paraná nesta quarta-feira (29), a diretoria ressaltou que está tomando as providências administrativas e pedagógicas necessárias.

A Secretaria da Educação (Seed) também emitiu nota na qual informa que o Núcleo Regional de Educação de Curitiba está acompanhando as denúncias de casos de automutilação de alunos. Segundo a SEED, a comunidade escolar está sendo orientada quanto à prevenção desta prática e as ações serão reforçadas durante o mês de setembro com a campanha “Setembro Amarelo”, de prevenção ao suicídio e automutilação.

A Secretaria da Educação ainda ressalta que vem desenvolvendo ações que visam à prevenção e o enfrentamento a todas as formas de violências no âmbito escolar, por meio de práticas pedagógicas. Por fim, a SEED frisa que subsidia os profissionais da educação quanto aos encaminhamentos, no intuito de prevenir situações conflituosas e buscar um ambiente escolar propício à aprendizagem, à convivência e ao desenvolvimento humano.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Galdino terá que ‘reinventar o pocotó’ após sofrer lesão de Neymar