Estudo mensal da Telecheque mostra que o índice de cheques devolvidos nos supermercados subiu 46,3% em setembro deste ano na comparação com mesmo período de 2004. O indicador de inadimplência no segmento foi de 3,11%, enquanto em setembro do ano passado ficou em 2,13%. Em relação ao índice de cheques devolvidos de agosto (3,15%) houve queda de 1,2%.

Ainda de acordo com o estudo, cresceu também o valor médio do cheque transacionado nesse segmento. O valor médio de R$ 178,80 verificado em setembro foi maior 2,3% em relação ao de agosto (R$ 174,80) e superior 10,5% frente ao registrado no mesmo período do ano passado (R$ 161,90).

As transações pré-datadas representaram 83% do volume financeiro transacionado no segmento, com queda de 0,5% em comparação com o mês anterior (83,4%) e de 0,7% frente a setembro de 2004 (83,65%). Em setembro deste ano, os supermercados apresentaram maior volume de pré-datados para 30 dias (52,8%) e 60 dias (36,98%).

"Embora o grande volume de pré-datados ainda seja de cheques para 30 dias, nosso estudo pôde constatar queda de 22,8% da participação dessa modalidade de crédito na comparação com setembro de 2004, quando os cheques para 30 dias representaram 68,37% do total dos pré-datados transacionados", afirma José Antônio Praxedes Neto, vice-presidente da Telecheque. "Em contrapartida, o volume de pré-datados para 60 dias nesse segmento cresceu 29,7% em setembro deste ano frente ao mesmo período do ano passado, quando as transações para 60 dias representaram 28,51% do total", explica o executivo. "Isso mostra tendência de alongamento dos prazos também nos supermercados devido ao alto nível de endividamento dos consumidores", conclui.

As transações com cheques à vista representaram 17% do total, e cresceram 2,3% em relação a agosto (16,6%) e 3,7% em comparação com mesmo período do ano passado (16,35%).

A Telecheque é a única empresa do mercado que avalia a inadimplência considerando o volume financeiro e não a quantidade de folhas de cheques devolvidas.