A saúde mental de policiais no Paraná será tema do 1º Congresso das Classes Policiais Civis do Paraná, promovido pelo Sindicato das Classes Policiais Civis do PR nesta quinta (5) e sexta-feira (6), na Escola Superior de Polícia Civil, em Curitiba.

De acordo o Grupo de Estudos e Pesquisa em Suicídio e Prevenção houve um aumento de registro de casos ou tentativas de suicídios no país em 2018 na comparação com 2017. Enquanto em 2017 haviam sido registrados 25 casos, no ano passado os suicídios de policiais subiram para 53. O número de tentativas de suicídio declarados também aumentou, de seis para 14.

Os números de 2019 serão divulgados apenas em janeiro do próximo ano.

A coordenadora do GEPeSP, a socióloga Dayse Miranda, explica que o número de casos pode ser ainda maior, considerando que as informações recebidas são de fontes informais. “O problema não é reconhecido como um tema de agenda pública no Brasil. Isso, além de comprometer um estudo mais aprofundado sobre o assunto, limita a elaboração de políticas públicas voltadas à saúde mental de policiais a partir de dados empíricos confiáveis”, comentou.

De acordo com a coordenadora do evento e secretária geral do Sinclapol, Valquiria Tisque, a ideia do congresso é proporcionar a comunidade policial e a acadêmicos um importante espaço para a discussão da problemática do adoecimento laboral dos policiais civis e suas consequências. “O objetivo é buscar, a partir do meio acadêmico, propostas e soluções para a falta de assistência estrutural e psicológica para os policiais que tanto se expõem para proteger a sociedade e, muitas vezes, acabam entrando em um processo mental depressivo e que potencializa um final trágico”, afirma. Mais informações pelo telefone (41) 3016-2026.