Foto: Divulgação/ Cocamar
Média nas regiões da Cocamar deve chegar a 2.950 quilos por ha.

A Cocamar reavaliou para cima a expectativa de produtividade média de soja em sua região. De acordo com o superintendente técnico e operacional, Arquimedes Alexandrino, a boa distribuição de chuvas durante os meses de dezembro e janeiro favoreceu o desenvolvimento das lavouras e também o seu potencial produtivo. Por isso, a cooperativa, que estimava inicialmente uma média ao redor de 2.700 quilos por hectare (108 sacas/alqueire), já trabalha com números na faixa média de 2.850 quilos por hectare (115 sacas/alqueire) e um recebimento ao redor de 625 mil toneladas que, se confirmado, será recorde. Na safra 2005/06, o volume foi de 522 mil toneladas.

Neste ano, confirmando a tendência de expansão da soja transgênica na região, pelo menos 40% das lavouras foram plantadas com variedades geneticamente modificadas. Na última safra, eram 8% do total. Para o período 2006/07, segundo a Cocamar, a soja transgênica poderá chegar a 60% da área.

 O agricultor Marcos Bruschi Neto diz que experimentou variedades geneticamente modificadas no ano passado e aprovou. ?Além da economia com herbicidas, o manejo é bem mais fácil?, conta. Este ano ele possui lavouras transgênicas e convencionais. ?Com as chuvas intensas dos últimos meses? – diz ele – ?foi difícil controlar o mato na soja convencional, enquanto que na transgênica uma aplicação de Roundup resolveu o problema. Fica bem mais fácil trabalhar com a soja.?

Separação

O superintendente Arquimedes Alexandrino orienta os produtores para que sejam cuidadosos na separação da soja transgênica e convencional, evitando misturas. Na entrega do produto na cooperativa, toda a carga é examinada. O objetivo, além de evitar a contaminação, é o rigor em relação ao pagamento dos royalties pelo uso de variedades geneticamente modificadas.